Fala galera gamer, hoje pretendo abordar um clássico do Snes: Donkey Kong Country.

Se você já jogou o game sabe do que estou falando, se ainda não jogou… bem, leia este post antes para descobrir coisas interessantes sobre as versões do game.

Era uma vez, lá no passado em 1900 e bolinhas (zuera), digo, lá (nem tanto no passado assim) em meados de 1994 um jogo revolucionou o sistema da Nintendo trazendo consigo gráficos e gameplay “matadores” (gíria da época).

O jogo causou um alvoroço e colocou em questionamento qual era o verdadeiro “poder de fogo” do sistema da Nintendo. Turbinado pelos gráficos 3D da época e feito com um esmero exemplar, o jogo até hoje consegue ser bonito e cativante, o Super Nintendo arrebatou corações e fez todo mundo virar fã de um grande gorila chamado Donkey Kong.

Pretendo fazer uma matéria mais completa sobre o game na OLD LORE em breve, porém por hora me limito as versões que foram lançadas do game.

Bem, todo mundo sabe (acredito eu) que no passado não existiam patchs de correção. Os consoles não eram ligados a internet como hoje e para corrigir um game, bem só promovendo um novo lançamento do game.

Muitos jogos foram relançados com os bugs e glitches corrigidos, quem costuma rodar roms em emuladores já deve ter percebido que algumas possuem dados no nome como v1.0, por exemplo, junto a outros códigos que ajudam a identicar a versão a qual está tentando rodar (pretendo fazer uma matéria a respeito também).

No caso do game Donkey Kong Country temos as seguintes versões:

Cartuchos americanos

  • Versão 1.0: A versão original do game como foi concebido.
  • Versão 1.1: O Barril Estrela (o barril de continue no meio das níveis) foi movido 10 pixels pra cima na fase “Coral Capers”. Foi resolvido um bug que ocorria com o Rambi (rinoceronte) na fase Bouncy Bonanza que poderia ocasionar em travamento do game. Os levels “Orang-utan Gang” e “Misty Mine, bem como alguns levels bônus, tiveram algumas correções leves quase inperceptíveis.
  • Versão 1.2: Essa versão foi a mais otimizada e deve ser a mais rara de se encontrar em cartucho original. Além das otimizações anteriores tivemos correções nos levels “Mine Cart Carnage” e “Mine Cart Madness” que por vezes tornava a vida do gamer um inferno quando tinha de pular de uma plataforma pra outra, agora é possível matar o “Klaptrap” (crocodilo azul com boca e dentes gigante) com ataque rolante em “Loopy Lights”, não é mais possível cortar a animação quando se completa uma fase, a dica de pular de mundo (warp) entre a segunda e terceira fase do primeiro mundo (Cima+Y enquanto estivesse andando no caminho do mapa) foi retirada e dois bugs foram corrigidos em “Spliside Ride” que tornava possível andar sobre os cristais afiados ou rasteja por dentro do cenário em determinado ponto da fase.

Cartuchos europeus

  • Versão 1.0: A versão original do game lançado na europa e com as correções da versão 1.1 americana.
  • Versão 1.1: Só foi lançada online para o “Virtual Console”, sistema de emuladores e roms oficiais da Nintendo, possui as correções da versão 1.2 do cartucho americano.

Cartuchos japoneses

  • Versão 1.0: A versão original do game lançado no japão tem as correções da versão 1.1 americana.
  • Versão 1.1: Possui as correções da versão 1.2 do cartucho americano.

Não são raros os casos de lenda urbanas comprovadas e ou desmentidas por causa de versões diferentes de games, isso alimentou e ainda alimenta o imaginário e as “histórias de pescador” de muito old gamer por aí como eu, por exemplo.

Espero que tenham gostado, por favor deixar comentários se possível. Grande abraço.

Material postado por mim mesmo originalmente no site gamelogia.com.br